Buscar

Impulsionado pela quarentena, e-commerce brasileiro cresce 132,8% em maio, diz pesquisa

No último mês, o número de pedidos feitos pela internet no país atingiram 23,8 milhões, totalizando um faturamento aproximado de R$ 9,4 bilhões.


SÃO PAULO – Apesar de a pandemia do novo coronavírus ter afetado as mais diversas empresas e segmentos, o setor de e-commerce é um dos poucos que se salvam em meio à crise. Segundo uma pesquisa da Compre & Confie, app que faz autenticação de segurança para compras na web, o número de pedidos online durante o mês de maio cresceu 132,8%, em comparação com o mesmo período do ano anterior.

O levantamento mostrou que, entre 1º e 24 de maio deste ano, o número de pedidos feitos pela internet no país somaram 23,8 milhões, totalizando um faturamento aproximado de R$ 9,4 bilhões – o que representa um aumento de 126,9% no total arrecadado com as vendas do e-commerce nacional em comparação com o mesmo período de 2019.

No entanto, se o volume total de compras apresentou uma grande melhora, o valor gasto em cada compra diminuiu. Em maio, o tíquete médio das compras teve uma leve retração de 2,6% em relação ao mesmo mês do ano passado. O relatório aponta que, em média, o montante gasto ficou em torno de R$ 393,40.

O estudo da Compre & Confie considera dados factuais de vendas recebidos em tempo real de cerca de 90% do varejo de bens de consumo do e-commerce brasileiro – com exceção do Mercado Livre. Lojas como Magazine Luiza, Casas Bahia, Pontofrio, Extra e outras centenas de varejistas fazem parte do balanço.


A plataforma recebe os dados detalhados de todos os pedidos e produtos comprados diretamente dos sistemas de vendas das lojas.

Gift Cards e alimentos

No relatório, ainda há dados sobre as categorias que apresentaram o maior crescimento em pedidos. Os gift cards lideram a lista com uma alta de 1.041% nas vendas em maio.

Gift Cardna tradução literal, cartão presente – é um cartão pré-pago que pode ser utilizado para pagar produtos e serviços que aceitam esse método de pagamento. Na categoria, entram tanto cartões que valem uma determinada quantia em dinheiro, quanto cartões de acesso para serviços digitais, como um cartão de assinatura da Netflix, por exemplo.

Outro segmento de produtos que apresentou crescimento considerável durante a pandemia foi o de alimentos e bebidas. A variação positiva em pedidos para essa categoria foi de 339%.

Dados de 90 dias

A análise ainda contempla dados mais amplos, considerando um período maior. Em um intervalo de 90 dias, do dia 24 de fevereiro até o dia 24 de maio, ainda é possível identificar um aumento considerável no volume de pedidos e no faturamento do e-commerce, ainda que o avanço seja um pouco mais tímido do que o registrado em maio.

Durante esses três meses, a pesquisa da Compre & Confie contabilizou 68,9 milhões de pedidos online – alta de 82,1% em relação ao mesmo período de 2019 – e um faturamento 71% maior, chegando aos R$ 27,3 bilhões.


Vale dizer que em 24 de fevereiro, data em que começa a amostra, o Brasil ainda não tinha nenhum caso confirmado de coronavírus. O primeiro caso confirmado da doença no país foi notificado, oficialmente, em 26 de fevereiro. A comparação permite concluir que o isolamento foi fundamental para o crescimento mais acentuado em maio.

Os primeiros critérios de isolamento e quarentena para o enfrentamento da epidemia foram regulamentados pelo Ministério da Saúde apenas no dia 13 de março.

Autor: Allan Gavioli


Fonte:

https://www.infomoney.com.br/consumo/impulsionados-pela-quarentena-pedidos-no-e-commerce-brasileiro-cresceram-1328-em-maio-diz-pesquisa/

15 visualizações
Iniciativa Eyes

 © 2019 - Iniciativa Eyes - acelerando negócios